18ª PRIMAVERA LITERÁRIA, Museu da República, 2018
[gallery ids="2807,2808,2809,2812,2813,2814,2816,2815"]
Na 18ª edição da Primavera Literária, a feira de livros retornou ao Jardim do Museu da República, localizado no bairro do Catete. O desafio foi ocupar o jardim de forma a estimular o passeio e apreciação do local e oferecer ao mesmo tempo um abrigo aos visitantes e aos livros. A intervenção foi simples e integrada, a fim de enaltecer a beleza do próprio jardim. Um projeto original do paisagista Auguste Glaziou e remodelado pelo seu discípulo Paul Villon, o jardim possui uma organização linear, enfatizada pelo eixo de palmeiras imperiais no seu centro. A maior parte dos estandes das editoras ficou ao longo desse caminho, emoldurado pelas árvores. A distância entre as palmeiras é de 6 metros. Ao utilizar tendas com essas mesmas dimensões, o desenho da feira adquiriu o mesmo ritmo do jardim. O uso de materiais reutilizáveis (placas de compensado e tendas metálicas) permitiu uma ocupação eficiente e sustentável. Dado o caráter efêmero do evento, o projeto buscou ocupar o jardim com simplicidade, sem deixar rastros. O legado da feira que trouxe quatro dias de literatura, música e arte para o jardim, perdura na memória dos visitantes e estimula uma ocupação mais cotidiana dos espaços verdes públicos.

Ficha Técnica

Cliente Liga Brasileira de Editoras Produção Aborda Fotos Tiago Tardin